Autor
Maria José de Rezende
Editora
E-papers
Assunto
Ciências Humanas
Ano
2015
Páginas
304
ISBN-13
9788576504832
E-ISBN
9788576504849
Edição

A política brasileira entre as décadas de 1970 e 2000

a interpretação sócio-histórica de Raymundo Faoro
Os textos que compõem este livro discutem os escritos de Raymundo Faoro publicados na grande imprensa desde a década de 1970 até o limiar do século XXI. As análises empreendidas nos diversos capítulos partem do pressuposto de que ele possuía tanto um modo de conceber o país e as suas dificuldades de mudança que o conduz a uma leitura singular da atuação dos diversos grupos sociais quanto uma atuação política, no interior da sociedade civil, que buscava encontrar alguns caminhos que indicassem possibilidades, num primeiro momento, de afrouxamento das regras de exceção e, num segundo, de construção de processos duradouros de efetivação da democracia. Através do acompanhamento do processo político em curso entre as décadas de 1970 e 2000, Faoro tentava se certificar, nas atuações de diversos agentes sociais e políticos, se era possível detectar, ou não, a emergência de avanços democráticos substantivos.
Tabela de conteúdo
pág. capítulo
1 Sumário
9 Introdução
15 O processamento da vida política brasileira no final da década de 1970
17 1.1 A ditadura militar e a colonização da sociedade pelo Estado: elementos importantes para compreender a distensão política na década de 1970
26 1.2 A distensão política e o movimento pela democratização do país na década de 1970: algumas dificuldades derivadas da colonização da sociedade pelo Estado
41 Os dilemas da transição política no Brasil no ano de 1980
43 2.1. Em quais atos, atitudes e ações ficavam evidentes, no início da década de 1980, as dificuldades de democratização da vida política brasileira?
50 2.2. As anacrônicas restrições autoritárias vindas a público a cada passo dado no sentido da descompressão política
61 CAPÍTULO III - Os continuísmos na política brasileira verificados nos procedimentos em voga no ano de 1981
64 3.1 O processo de abertura política no ano de 1981: os cálculos do sistema de poder que visava o controle da mudança
70 3.2. A transição política, em 1981, escoltada pela Lei de Segurança Nacional (LSN)
81 CAPÍTULO IV - O início do processo de “abertura” política e as dificuldades de desmontar as práticas autoritárias no Brasil
82 4.1. O que as mudanças políticas em curso no início da década de 1980 revelavam acerca da redefinição das práticas políticas
88 4.2. Cada ato do processo de abertura política reafirmava uma lógica estamental e oligárquica
97 4.3. O debate em torno da constituinte revelando, em 1980, aspectos importantes sobre a passagem do autoritarismo para a democracia no Brasil
105 CAPÍTULO V - A lógica autoritária do regime militar e os cálculos para controlar a democratização
108 5.1 A eleição presidencial de 1985 e as manobras de sempre: as ações dos situacionistas, dos dissidentes e dos oposicionistas
114 5.2 O embate político no Colégio Eleitoral que elegeu o sucessor do gal. João Baptista Figueiredo
125 CAPÍTULO VI - A liberalização, as Forças Armadas e os impasses postos pelas questões militares
126 6.1. Um olhar sócio-histórico sobre as Forças Armadas: alguns elementos para entender os percalços da transição política no ano de 1984
141 CAPÍTULO VII - O governo Sarney expondo o malogro da transição política brasileira
143 7.1 O malogro da transição expresso nos procedimentos políticos ao longo do ano de 1988
150 7.2 Os embates, no final do ano de 1988, em torno da nova Carta Constitucional: a transição em xeque
163 CAPÍTULO VIII - Os desafios da transição política brasileira nos anos de 1989 e 1990
166 8.1. A transição política após a ditadura militar: instabilidade e mudança
172 8.2. Governo Collor: conservadorismo aventureiro e impossibilidades democráticas
183 CAPÍTULO IX - Os procedimentos não democráticos do governo Collor e a política brasileira nos anos de 1991 e de 1992
186 9.1. A vulnerabilidade institucional no governo Collor: uma leitura sobre os procedimentos antidemocráticos postos em marcha
195 9.2. A coroação da inviabilidade democrática: a análise do desrespeito constitucional no último ano do governo Collor
209 CAPÍTULO X - A substancialidade dos procedimentos oligárquicos no Brasil entre 1995 e 1998
210 10.1 O país entre a promessa de democratização e a avidez das oligarquias
217 10.2. Casuísmos, autocracia e expedientes antidemocráticos: os desafios postos para as mudanças políticas no Brasil no final da década de 1990
227 CAPÍTULO XI - Globalização, impasses econômicos e dificuldades políticas no Brasil no final da década de 1990
230 11.1 A globalização e o neoliberalismo como impasses: as dificuldades políticas em questão
239 11.2 Estado, globalização, interesses comuns e interesses privados
249 CAPÍTULO XII - O limiar do século XXI e as dificuldades de superação das práticas não democráticas no Brasil
251 12.1 Ano 2000: 500 anos de afastamento de qualquer possibilidade de vigorar, no país, a soberania popular
267 Capítulo XIII - Por que “a história da democracia ainda não começou” no Brasil?
269 13.1. Afinal, no limiar da década de 2000, como pensar historicamente as dificuldades políticas brasileiras?
276 13.2. Os políticos oligárquicos e suas velocidades supersônicas para continuar o atraso
281 Considerações finais
287 Referências Bibliográficas

GUEST IP: 34.226.244.70 Suporte FAQ
© 2016 Dot.Lib | Todos os direitos reservados | Todos los derechos reservados | All rights reserved dot.lib