Autor
Alexandre Dumas ; Jorge Bastos
Editora
Zahar
Assunto
Linguística, Letras e Artes
Ano
2017
Páginas
270
ISBN-13
9788537816875
E-ISBN
9788537817094
Edição

Vinte anos depois

edição comentada e ilustrada
Atendendo a pedidos, a Zahar lança Vinte anos depois, a continuação das aventuras de d'Artagnan, Porthos, Athos e Aramis! Com sua inigualável habilidade narrativa, costurando magistralmente história e ficção, Alexandre Dumas delicia o leitor com novas façanhas dos mosqueteiros. Estamos em 1648 e a França se divide entre duas forças políticas: a da situação, liderada pelo cardeal Mazarino, e a da oposição, a chamada Fronda, que reúne importantes elementos da nobreza e a maioria do povo em torno de interesses variados e muitas vezes conflitantes. D'Artagnan, o único dos amigos que permaneceu na corporação dos mosqueteiros, é convocado por Mazarino a reavivar os feitos heroicos da juventude e partir em missões em nome de Sua Majestade. É o pretexto para o reencontro dos quatro companheiros, que marca o começo de grandes aventuras. De início em lados opostos Porthos se alia a d'Artagnan, enquanto Athos e Aramis são ativos combatentes da Fronda, acabarão se unindo por uma causa maior, que pode mudar o destino da Europa... Essa edição traz tradução, apresentação e notas de Jorge Bastos, além de ilustrações originais. A versão impressa apresenta capa dura e acabamento de luxo.
Tabela de conteúdo
pág. capítulo
1 Sumário
9 Apresentação - Eu tenho um plano...
20 1. O fantasma de Richelieu¹
33 2. Uma ronda noturna
43 3. Dois antigos inimigos
56 4. Ana da Áustria⁷⁵aos quarenta e seis anos
67 5. Gascão e italiano
73 6. D’Artagnan aos quarenta anos
80 7. D’Artagnan sem saber o que fazer, mas socorrido por um antigo conhecido nosso
88 8. As diferentes reações que uma moeda de meia pistola pode gerar num irmão leigo e num menino de coro
95 9. Como d’Artagnan, procurando Aramis ao longe, descobriu-o na garupa de Planchet
102 10. O padre d’Herblay
111 11. Gato e rato
121 12. O sr. Porthos du Vallon de Bracieux de Pierrefonds
127 13. Como d’Artagnan descobriu, encontrando Porthos, que riqueza não traz felicidade
135 14. Quando se demonstra que Porthos podia estar insatisfeito com a situação que tinha, mas Mousqueton se considerava bem contente com a sua
141 15. Duas cabecinhas de anjo
149 16. O castelo de Bragelonne
158 17. A diplomacia de Athos
167 18. O sr. de Beaufort
174 19. As diversões do sr. duque de Beaufort na torre de Vincennes
184 20. Grimaud assume suas funções
195 21. O que havia dentro das tortas do sucessor do velho Marteau
204 22. Uma aventura de Marie Michon
217 23. O abade Scarron²³⁴
232 24. Saint-Denis
241 25. Um dos quarenta meios de evasão do sr. de Beaufort
250 26. D’Artagnan chega em boa hora
259 27. Estrada afora
265 28. O encontro
273 29. O personagem Broussel ²⁷¹
281 30. Quatro velhos amigos se preparam para um encontro
289 31. A praça Royale
294 32. A balsa do rio Oise
302 33. Escaramuça
308 34. O monge
317 35. A absolvição
323 36. Grimaud fala
328 37. A véspera da batalha
338 38. Um jantar dos velhos tempos
346 39. A carta de Carlos I ³⁰¹
353 40. A carta de Cromwell
360 41. Mazarino e a sra. Henriqueta
366 42. Como os infelizes às vezes confundem acaso e Providência
373 43. O tio e o sobrinho
378 44. Paternidade
386 45. Mais uma rainha pede socorro
397 46. Uma prova de que a primeira reação é sempre a melhor
404 47. O te-déum da vitória de Lens ³³⁸
419 48. O mendigo da Saint-Eustache
428 49. A torre de Saint-Jacques-la-Boucherie
434 50. A insurreição
441 51. A insurreição cresce
453 52. A infelicidade ajuda a memória
459 53. A audiência
466 54. A fuga
477 55. A carruagem do sr. coadjutor
489 56. Como d’Artagnan e Porthos ganharam um duzentos e dezenove e o outro duzentos e quinze luíses vendendo palha
497 57. Chegam notícias de Aramis
506 58. O escocês, perjuro da fé, vende por um tostão o seu rei
514 59. O vingador
523 60. Oliver Cromwell
529 61. Os fidalgos
534 62. Jesus Senhor
541 63. Uma prova de que, mesmo nas mais difíceis situações, os grandes corações nunca perdem o ânimo, nem os bons estômagos o apetite
548 64. Brinde à Majestade decaída
556 65. D’Artagnan arma um plano
566 66. A partida de lansquenê
572 67. Londres
578 68. O processo
588 69. White Hall
596 70. Os operários
603 71. Remember
610 72. O mascarado
618 73. A casa de Cromwell
625 74. A conversa
634 75. A faluca Relâmpago
644 76. O vinho do Porto
653 77. O vinho do Porto (continuação)
658 78. Fatality ⁴⁶⁰
665 79. De como Mousqueton, depois de quase ser assado, quase foi comido
673 80. A volta
681 81. Os embaixadores
689 82. Os três auxiliares do generalíssimo
701 83. O combate de Charenton⁴⁹⁰
710 84. A estrada para a Picardia
717 85. O reconhecimento de Ana da Áustria
723 86. A realeza do sr. de Mazarino
728 87. Precauções
733 88. O espírito e o braço
737 89. O espírito e o braço (continuação)
742 90. O braço e o espírito
745 91. O braço e o espírito (continuação)
752 92. As masmorras do sr. de Mazarino
757 93. Conferências
762 94. De como começam a achar que finalmente Porthos será barão e d’Artagnan, capitão
769 95. Como uma pena e uma ameaça são mais eficientes que a espada e a lealdade
775 96. Como uma pena e uma ameaça são mais eficientes que a espada e a lealdade (continuação)
781 97. Onde se prova que aos reis é às vezes mais difícil entrar na capital do seu reino do que dela sair
787 98. Onde se prova que aos reis é às vezes mais difícil entrar na capital do seu reino do que dela sair (continuação)
791 Conclusão
793 Cronologia - Vida e obra de Alexandre Dumas

GUEST IP: 54.226.209.201 Suporte FAQ
© 2016 Dot.Lib | Todos os direitos reservados | Todos los derechos reservados | All rights reserved dot.lib